Weby shortcut
topo novo
  • CENAS PLURAIS PIBID

    CENAS PLURAIS

    O projeto de extensão CENAS PLURAIS, organizado pelo Grupo de Estudos em Gênero e Diferenças na Educação do PIBID Ciências Sociais, é uma ação na qual utilizamos filmes para tratar de temas pertinentes ao ensino de Sociologia no Ensino Médio. Em referência ao Dia Nacional da Consciência Negra e para subsidiar nossas ações nas escolas na próxima semana é que convidamos todos e todas a participarem desta edição especial do Cenas Plurais, que terá como debatedora a feminista e mestranda do PPGAS, Vanessa Oliveira.

     

    Leia mais...

  • arteediferencaout2017

    Arte em tempos de pânicos morais e sexuais: QueerMuseu e outros casos de censura atuais

    O Ser-Tão, Núcleo de Estudos e Pesquisas em Gênero e Sexualidade, e o Programa de Pós-Graduação em Arte e Cultura Visual, promovem o debate "Arte em tempos de pânicos morais e sexuais: QueerMuseu e outros casos de censura atuais", como parte do Projeto de Extensão "Arte e Diferença". Na ocasião serão discutidos os recentes casos de censura e cerceamento de manifestações expressivas no campo das artes, em torno de algumas exposições e de outros modos de expressão compreendendo gênero e sexualidade enquanto campos de atuação. Contando com mesa-redonda com a professora Carla de Abreu e os professores Glauco Ferreira e Tony Boita, a atividade se realizará no dia 18 de outubro de 2017, quarta-feira, às 18:00, no Miniauditório do Prédio das Humanidades (Faculdade de Ciências Sociais e Faculdade de Filosofia), no Campus II da UFG.

    Leia mais...

  • Pride

    “Não há cura para o que não é doença” – nota do Ser-Tão em defesa da Resolução 01/1999 do Conselho Federal de Psicologia

    O Ser-Tão, Núcleo de Estudos e Pesquisas em Gênero e Sexualidade, vem a público manifestar seu apoio à Resolução 01/1999 do Conselho Federal de Psicologia, à Constituição Brasileira, aos direitos humanos, aos direitos sexuais e reprodutivos, à liberdade e à democracia. São preocupantes os efeitos que podem produzir a decisão do juiz federal da 14ª Vara do Distrito Federal, Waldemar Cláudio de Carvalho, que em 15 de setembro de 2017 concedeu liminar que abre possibilidade para o uso das chamadas terapias de reversão sexual no Brasil. Vale lembrar que a homossexualidade deixou de ser considerada patologia pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 1990 e que o Conselho Federal de Psicologia e os Conselhos Regionais de Psicologia são as instâncias legais responsáveis por orientar e fiscalizar o exercício profissional da Psicologia em território brasileiro. É com enorme preocupação que observamos o contexto atual de retrocesso no que diz respeito a questões relacionadas a gênero e sexualidade no Brasil contemporâneo. A volta do espectro de patologização da homossexualidade soma-se a um cenário complexo de (re)produção violenta do ódio, do medo e dos preconceitos, exemplificado pelos ataques sistemáticos aos estudos científicos sobre gênero e sexualidade, rotulados erroneamente como “ideologia” por parte de setores conservadores, à censura e perseguição às expressões artísticas que versem sobre identidade de gênero e orientação sexual e ao incremento de diversas formas de violência e exclusão contra a população de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais no país.

  • Últimas Notícias

    Curso Política Nacional de Saúde Integral de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (LGBT)

    Estão abertas as inscrições para a 3ª turma do Curso sobre a Política Nacional de Saúde Integral de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (LGBT).

    Transexualidades e Direito(s) no Brasil – panorama político-jurídico e desafios contemporâneos

    Nota da ABA e de seu Comitê de Gênero e Sexualidade sobre os recentes casos de estupro coletivo

    NOTA DE REPÚDIO DO SER-TÃO ÀS PUBLICAÇÕES VINCULADAS À ORGANIZAÇÃO DO INTER UFG

    O Ser-Tão, Núcleo de Estudos e Pesquisas em Gênero e Sexualidade, da Universidade Federal de Goiás (UFG), torna público seu total repúdio às publicações de caráter misógino, racista, homofóbico e transfóbico vinculadas à organização das atividades do Inter UFG, amplamente divulgadas nas redes sociais. Consideramos inadmissível que um evento organizado por estudantes da UFG, e que leva o nome da Universidade, incentive práticas humilhantes, opressoras e preconceituosas, as quais buscamos enfrentar e combater cotidianamente em toda a sociedade.

    Ato de Repúdio ao Estupro Coletivo - um basta à cultura do estupro

    O Ser-Tão, Núcleo de Estudos e Pesquisas em Gênero e Sexualidade, apoia e repassa a todos/as o convite para o ATO - Repúdio ao Estupro Coletivo. Pedimos a gentileza de divulgarem em suas redes! Domingo, dia 29 de maio, às 16 horas no Lago das Rosas, Setor Oeste – Goiânia